É guerra: Na contramão dos marketplaces da internet, empresa investe em venda direta e lança desafio de vender mais barato

Grandes marketplaces da internet brasileira como Amazon, Mercado Livre e americanas.com são referências quando o assunto é preço baixo e volume de negócios. Seja atuando como marketplace puro ou apenas plataforma, o ranking divulgado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) aponta que as 50 maiores em atuação no país apresentaram um crescimento nominal de 8,74% nas vendas e um faturamento bruto de R$ 36,2 bilhões. Será que a hegemonia dos marketplaces irá derrubar a venda direta presencial nas lojas?

O CEO da Mundo Maromba, Daniel Cohen, resolveu inovar e ir contra a tendência do e-commerce puro, investindo ainda mais em suas lojas físicas, e lançou um desafio para o consumidor: “ao perceber que o mercado estava sendo engolido por marketplaces, que vendem produtos com margens que são impossíveis de serem praticadas em lojas físicas, dados os custos operacionais e impostos, resolvi lançar um desafio e garantir aos nossos clientes que eles nunca mais iriam precisar comprar nesses sites, esperar 5 ou 10 dias para pegar a mercadoria pra pagar o menor preço possível. Agora eles vão comprar a preços mais baixos do que Mercado Livre, e podendo retirar na hora nas nossas lojas. Guerra é guerra”, declarou.

A Mundo Maromba é uma das maiores distribuidoras de suplementos alimentares do Brasil e resolveu entrar na linha de frente para competir com os maiores marketplaces do país. Situada no Rio de Janeiro, no subúrbio carioca, em alguns anos assumiu a liderança em vendas na região e investiu em expansão, marcas próprias e estratégia agressivas de marketing com influenciadores conhecidos no fisiculturismo. 

Daniel Cohen, CEO da Mundo Maromba. (Reprodução / MF Press Global)

Esta nova estratégia de negócios ousada tem uma inspiração em um modelo bastante conhecido dos cariocas: “resolvemos seguir a linha de raciocínio de algo que funciona há décadas, que é o  Mercadão de Madureira, onde os lojistas vendem varejo e atacado dentro da mesma loja. Você compra um artigo a um preço, mas se comprar três unidades do mesmo produto, compra a preço de atacado, saindo assim muito mais barato para o consumidor final. Seguiremos este modelo a partir de já”. 

A empresa criada no subúrbio do Rio de Janeiro, no bairro de Marechal Hermes, está investindo em abrir para o consumidor final preço de atacado, com a vantagem da pronta entrega: “se o cliente comprar 1 item pagará o preço de prateleira, mas se comprar 3 do mesmo item pagará preço de atacado, ou se comprar a partir de 600 reais em vários produtos diferentes, e será mais em conta do que Mercado Livre ou qualquer outro marketplace, com a vantagem de poder retirar na hora na loja. Aceitamos também pedidos pelo Instagram ou Whatsapp, podendo receber em casa em todo o Rio de Janeiro com uma taxa de apenas 20,00 de frete, recebendo em até 24 horas, não 5 dias úteis”.