Conheça Patrícia Penna e as politicas da nova secretária-adjunta de cultura do estado de São Paulo

Paulistana de coração, mas nascida no Rio de Janeiro, Patrícia Penna, nova responsável pela pasta de cultura do governo de São Paulo, atua na capital paulista há anos. Com 22 anos residindo na cidade, atuou diversas vezes como representante e pesquisadora de economia criativa e design urbano. Com praticas públicas e privadas inovadoras, seja pelas ideias de indústrias de inovação ou na transversalidade da cultura urbana e do meio ambiente, ela vem se destacando no meio politico nos últimos anos.

Estudou Design pelo Instituto Europeo di Design, se tornou a principal articuladora da regulamentação do Design no Brasil. Mentora de inúmeras iniciativas, como seu evento “Design na Brasa” que já ganhou destaque na ONU como um evento capaz de ajudar o mundo. Também milita na causa de povos indígenas, em prol da comunidade LGBT e a favor da liberdade religiosa. Estuda Gestão Pública e Administração pelas instituições Brás Cubas e Anhembi Morumbi. Entre seus projetos de destaque, criou em 2017 a Lavagem do Beco do Batman, uma iniciativa que reuniu a comunidade da Vila Madalena e sacerdotes de diversas religiões contra a intolerância.

Suas palestras sobre economia criativa sempre trouxe a ferramenta Design como uma grande possibilidade de tornar real a construção de soluções ligadas ao serviço social. Foi delegada na setorial de design na segunda conferencia nacional de cultura do MINC (Ministério da Cultura) e é conhecida de todas as associações de design do país.

Colocou seu evento no calendário oficial da cidade de SP e ajudou a construir o dia do Design Sustentável na capital de São Paulo, tornando a primeira e única cidade a ter este dia. Ganhou título de Chanceler Ambiental por atuar fortemente na defesa da natureza, como a sua iniciativa de construir abaixo assinado contra a usina Termelétrica de Peruíbe e também na defesa das águas de Araçariguama.

Foi condecorada como Comendadora da Ordem Cívica e Cultural pela sociedade Heraldica Brasileira. Tem uma atuação forte no discurso de empoderamento feminino e como secretaria da mulher do PV da capital. Inventou um modelo colaborativo de campanha feminina que tirou as mulheres de um patamar de 9 mil votos para 30 mil votos.

E foi nessa construção de sua carreira que o governador de SP conheceu seu trabalho e sua competência sobre economia criativa e será esta competência que pretende entregar para a secretaria da cultura do estado, com intuito de agregar valor ao projeto do governador Marcio França. Ela já anda reunindo inteligências que dialogam com o futuro para construírem juntos um plano macro de Economia Criativa para o Estado.