Queda de cabelos: é possível controlar e evitar a calvície?

Você já notou alguma vez que ao passar a mão nos cabelos percebeu que algum deles ficaram entre os dedos? E ao levantar da cama vários fios de cabelo ficaram no travesseiro? E ao tomar banho nota aquele emaranhado de fios no ralo do banheiro?
Se já percebeu algum desses sinais é importante ficar atento, pois pode ser um dos primeiros sinais que a sua saúde não está indo nada bem.
Queda de cabelos: quais são os novos remédios e tratamentos? O médico especialista em tratamentos capilares Dr. Antônio Kleber Fonseca explica porque devemos nos preocupar em manter os cabelos saudáveis e com isso garantir uma boa saúde que evite a calvicie.
Os médicos frequentemente se deparam com problemas relacionados ao cabelo. A maioria das queixas é proveniente de pacientes com padrão de calvicie de surgimento precoce, uma avaliação detalhada e sistematica é essencial, pois são inúmeros os problemas de saúde que podem ser identificados por meio da queda de cabelos, entre eles: deficiências nutricionais, alterações hormonais, estados inflamatórios, infecções bacterianas, diminuição da imunidade, desequilíbrios emocionais, distúrbios do sangue, processos químicos e período pós- parto.
Portanto, para se pensar em cabelos saudáveis e livre de doenças, deve se lembrar que algumas estruturas estão envolvidas na homeostase capilar. As doenças podem se instalar desde o couro cabeludo até a haste capilar.
Por isso, mantenha os seus cabelos sempre limpos – A limpeza do couro cabeludo deve ser considerada como um importante cuidado na prevenção da calvície. Ao deixá-lo sujo por mais tempo, a própria sujeira pode favorecer – ou, até mesmo, agravar – a perda dos fios.
Para o especialista, a combinação mais prescrita e que apresenta melhores resultados une vasodilatadores e antiandrogênicos. “Alguns desses medicamentos possuem raros efeitos colaterais que devem ser bem discutidos entre médico e paciente. Outros tratamentos estão sendo muito discutidos e se mostrando promissores, como o microagulhamento, aplicação local de determinados medicamentos injetáveis e uso de LED”, pontuou. Ressaltando ainda que os estudos se estendem para as terapias com células tronco, porém não há nada definido cientificamente nesse aspecto. Ressalta-se que uma outra alternativa é o transplante capilar em casos avançados de calvície.
Foto: CG1 Comunicação (divulgacão)