Iniciativa privada vai ajudar governo Dória com abrigos e cursos para moradores de rua

Por: Camilo Caetano

 

Ao contrário da maioria dos políticos no Brasil, que sempre desprezaram parcerias com a iniciativa privada, o novo prefeito de São Paulo, João Dória, tem feito algo bem inovador. Ao invés de remover cobertores de mendigos, como fazia o ex-prefeito petista Fernando Haddad, a gestão Dória tem feito várias parcerias com empresas privadas para melhorar as condições dos 83 albergues municipais voltados para receber moradores de rua. Entre elas, estão a rede hoteleira Accor, a de comida orgânica Mundo Verde, a multinacional Procter & Gamble e a empresa de tintas Coral. A iniciativa faz parte de um novo projeto que pretende revitalizar esses espaços, batizado de Espaço Vida.
A rede Accor, por exemplo, irá ajudar a prefeitura a configurar os quartos dos albergues e oferecer cursos de capacitação. A rede Mundo Verde deve fornecer alimentos de origem orgânica e a Procter & Gamble, produtos de higiene. Além de melhor qualidade de vida, a ideia do projeto de revitalização dos albergues é oferecer também oportunidades de emprego e estudo aos moradores de rua, além de disponibilizar canis e estrutura para famílias serem acolhidas juntas. Hoje, homens e mulheres são atendidos separadamente nos abrigos e os animais são proibidos. O Senac também fechou parceria com a prefeitura para oferecer cursos profissionalizantes.

Para Filipe Sabará, secretário-adjunto de Desenvolvimento Social, a situação dos abrigos é deplorável, há ausência de vasos sanitários e comida. Sabará atribui isso à falta de fiscalização da gestão anterior em relação à execução dos contratos com as ONGs que recebem repasses mensais de 15 milhões de reais para gerir esses espaços. “Os albergues viraram um ‘centro de afugentamento’ em vez de acolhimento”, diz Sabará, autor do projeto Espaço Vida.

Segundo Sabará, as ONGs terão um tempo para se adaptar à nova gestão e, se não forem bem avaliadas, serão substituídas.